Ele não se cansa de ser Advogado Geral da União, não se desvestiu dessa função ao assumir um cargo na mais alta corte de justiça da nação.

Ele é o defensor dos fortes e dos opressores, ele é o herói às avessas, sem ser um anti-herói.

Ele é GILMAR MENDES

O cara acabou de dar uma liminar defendendo o Heráclito Fortes

Olha a carinha de inocente da criatura

Pois é.

O senador piauiense deve ser do mesmo partido do ilustrado ministro do STF, o DEMO – ops, DEM. O argumento, segundo a Folha de São Paulo é que por existir recurso na Corte e ser possível a anulação da condenação proferida pelo Tribunal de Justiça do Piauí, a Lei não pode prejudicar os direitos do senador.

A discussão é vasta, tanto no campo político quanto no sociológico, mas o que importa mesmo é a paixão que a celeuma desperta. Todo mundo sabe que não existe virgem na zona. É uma tarefa inglória buscar um honesto em meio aos políticos, sejam eles nacionais ou estrangeiros. O próprio jogo político exige um certo grau de elasticidade moral, de complacência ética, incompatível com a noção do famoso “homem médio” do mundo jurídico.

Por isso a máxima “dura lex sed lex”, que pode ser traduzida por “a lei é dura, mas é a lei”, no Brasil ganha contornos mais parecidos com a paródia da década de 1970: “dura lex sed latex”, a lei é dura, mas pode ser flexível como uma camisinha.

Voltando ao eterno advogado dos poderosos, mais uma vez as decisões contrariam a letra e o espírito da Lei para agradar a poderosos, sejam eles de que time, coloração, partido ou agremiação.

Muito bem, Gilmar, você só prova que continua fiel aos seus próprios princípios. Parabéns.

Só nos resta esperar para que ele faça 70 anos, quando será compulsoriamente aposentado. Pena que isso ainda deve demorar um bocado…

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.