|

LITERATURA

Então o Lula deu uma entrevista e, num momento inoportuno, disse um “ainda bem”. Uma horda já começou a vociferar, tentando colocá-lo no mesmo patamar de indignidade do sujeitinho execrável que ocupa a cadeira presidencial, se esquecendo de tudo o que ele havia falado com propriedade antes. Gente, inclusive, de esquerda.

Eu relutei algum tempo em fazer uma defesa, afinal, quem sou eu? Um blogueiro com 15 leitores, estudante de teatro, jornalista frustrado e bacharel em Direito com cargo público conquistado em concurso. Nada disso me autoriza a falar em nome dele. Embora não seja um fã ardoroso do ex-presidente Lula, ainda o considero um dos melhores que já passou pelo Planalto, numa lista de raros 3.

Então, eu resolvi listar os vídeos do Youtube em que o Lula dá entrevistas importantíssimas:

https://www.youtube.com/watch?v=Eh7ej6v9kX8https://www.youtube.com/watch?v=3lg67WNUFbU

E divulgar o twitter oficial dele:

Dito isso, passo à defesa propriamente dita:

Várias coisas devem ser consideradas quando analisamos a repercussão do equívoco cometido por Lula:

A primeira é que o sujeitinho execrável que ora ocupa o planalto não para de falar merda e, claro, todos repercutem. Buscamos alguma coisa boa, nunca tem. Todas as vezes que ele se pronuncia, vitupera algum absurdo gigantesco.

A segunda é que o Lula vem falando coisas, se pronunciando de forma correta, conciliatória – embora nem sempre eu concorde com o que ele diz – mas indubitavelmente o poder de comunicação dele permanece intacto e tudo isso pode ser comprovado tanto no canal oficial dele, quanto no twitter e outras formas de divulgação da esquerda. No entanto, não há repercussão, ninguém abre a boca para falar dele nos meios de comunicação tradicionais.

A terceira é relativa à segunda, porque a grande mídia simplesmente ignora tudo o que a esquerda tem feito, todos os esforços dos governadores do Nordeste em conter os estragos à saúde causados pela pandemia. Só sobressaem os esforços de Witzel e Dória, como se só Rio e São Paulo fossem importantes.

A quarta coisa é a repercussão dada ao erro. É como se todos esperassem apenas um deslize do Lula para amplificar tudo. Gente de direita que eu conheço, que se mantém contida, quando é em relação ao Lula, se transforma numa criatura raivosa, semelhante àqueles cães maltratados pelos donos, que se tornam agressivos contra tudo e contra todos. Gente de esquerda também, talvez porque mesmo alguns da esquerda tenham ódio, não ao PT, mas ao Lula, porque um torneiro mecânico não poderia jamais ter vencido uma eleição para Presidente da República. Não só isso. Durante o mandato, era respeitado por líderes mundiais – quem se esquece do Obama dizendo: this is the man? – ganhou notoriedade por ter retirado o Brasil do mapa da fome mundial, enfim, fez o que devia ser feito.

Por fim, o fato de Lula ter pedido perdão pelo erro imediatamente. Teve a grandeza de reconhecer e o que a mídia fez: novamente ignorou!
Por essas razões, não dá para colocar Lula num pólo da questão e o bostão do planalto no outro pólo. O presida desgovernado é uma metralhadora de vitupérios e está sempre em evidência. Não se desculpa e só volta atrás nos atos quando a repercussão é perigosa na classe alta dos endinheirados que o apoiam. Despreza a vida e fica tudo por isso mesmo. Lula errou e, imediatamente, se desculpou. E foi um deslize. Jogar para os ombros dele a pecha de ter desejado a pandemia é uma desonestidade intelectual.

Não há polarização, não há o lado de lá e o lado de cá. Há um parcela pequena e estridente em ambos os campos, no meio, estamos todos nós que raciocinamos.

Uma resposta

  1. Cris, teu texto é uma análise dos fatos, com uma visão clara e isenta. Gratidão, aprendo muito com vc. Abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

plugins premium WordPress