|

LITERATURA

Hoje eu conheci, por meio do Pedro HMC, do Põe na Roda, um camarada Russo que faz entrevistas para o Youtube. O nome dele é Karen Shainyan ENG. Ele não é tão famoso assim, mas amei a entrevista que ele fala com Yuval Harari, autor de Homo Sapiens, Homo Deus e 21 questões para o século XXI.

A parte mais interessante, eu traduzi:

“Moral é uma questão muito mais compreendida nos tempos modernos. Para muitas culturas na história, bem e mal significavam leis obtidas do céu, que te dizem o que é bom e o que é ruim e seguir essas regras é bom e desobedecê-las é ruim. O que eu acho é que isso é um entendimento pobre de moralidade e do bem e do mal. Dependia da crença num poder sobrenatural que nos definisse o que é o bem e o mal, presumindo que as pessoas não saberiam por si mesmas. Acho que agora, nas sociedades modernas, temos uma compreensão melhor de moralidade. Moralidade não é sobre regras descendo do céu, moralidade é a respeito de sofrimento. É muito, muito simples. Moralidade diz respeito ao sofrimento. Causar sofrimento desnecessário a outro ser senciente é ruim, ajudar a proteger pessoas e outros animais do sofrimento é bom. Você não mata outra pessoa, não porque algum deus determinou, mas porque vai machucar essa pessoa, causa sofrimento não só à vítima, mas à família, aos amigos, aos vizinhos. Você não rouba, não porque alguém determinou, dois mil anos atrás. Você não rouba porque isso causa sofrimento. É tão simples.

E é a mesma coisa com a moral sexual. Estupro é ruim, e hoje nós entendemos isso melhor do que em qualquer período anterior da história, eu acho, porque na Bíblia, não há nada dizendo claramente que o estupro é ruim, porque a mulher era considerada a propriedade de um homem, e em muitos casos, ele pode fazer o que quiser com ela. Na Bíblia, se um homem estupra uma mulher, ele está cometendo um crime contra o dono daquela propriedade, o pai dela, se ela for casada, é diferente, mas se um homem estupra uma mulher solteira, é um crime contra o patrimônio contra o senhor daquela propriedade que, agora, está danificada, e o jeito de solucionar a questão é pagar dinheiro, ou ouro, ou outra coisa qualquer, para o dono, o pai ou irmão, então a mulher é de quem pagou, não é estupro. Hoje, temos um conceito muito melhor de que não é um crime contra o patrimônio. Ele causa sofrimento à mulher. Este é o problema, então, não o faça. Muito simples.”

Infelizmente a entrevista está toda em inglês e ainda não tem legendas. Até pensei e legendar, mas vai ser um trabalho hercúleo pra fazer de graça. hehehe

Isso também se reflete na questão LGBT. Se dois homens se amam, e fazem sexo, ou se comprometem numa relação de longo prazo, não há sofrimento. Não machuca ninguém. E algo que não machuca ninguém, não é pecado, não é mau, não é demoníaco, não é um crime, não devia ser proibido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

plugins premium WordPress