Ontem completei o qüinquagésimo sexto ciclo em torno do sol. Este ano é muito estranho. Desde março do ano passado, estamos lidando com um vírus que parou o planeta. É meu segundo aniversário isolado. Este post está parecendo um telegrama.

Mas na verdade, ele é para contar a situação engraçada em que fui colocado no momento de tomar a primeira dose da AstraZêneca. Dudu Paes adiantou (um pouco em relação ao restante do Brasil, e nada em relação ao que poderíamos ter já alcançado em termos de cobertura vacinal) em um dia a minha vez de vacinar. Como disse, completei 56 anos ontem, dia 10. E o calendário estava assim:

Ou seja: na terça, eu ainda não podia vacinar, porque só tinha 55 e na quinta, já não poderia novamente, porque já tinha 56 e o dia para 56 foi dois dias antes. Dá pra acreditar que o rapaz que estava me cadastrando ficou em dúvida e eu tive de me dirigir à administração para pedir uma autorização especial?

Foi o que aconteceu.

Fiquei me sentindo num pesadelo kafkiano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.